Dra Teresa Pinto | Honnus Medicina Trabalho

A pandemia da COVID-19 trouxe enormes desafios à sociedade à escala global, com os efeitos da crise a serem sentidos no seio de todas as organizações e empresas. É crucial que estas entidades estejam preparadas para enfrentar os problemas associados à doença, capacitando-se para proteger os seus recursos humanos e, ao mesmo tempo, assegurar a sua atividade e sustentabilidade. 

As medidas de prevenção, que assumem especial relevância na nossa vida em comunidade, são também necessárias no contexto de trabalho e devem ser adaptadas, tanto quanto possível, à realidade concreta das empresas. As ações a tomar estendem-se por vários quadrantes, nomeadamente a consciencialização e formação, higienização e proteção individual e colectiva, gestão e adaptação dos processos de trabalho e o suporte ao colaborador.

Em primeiro lugar, é fundamental consciencializar os colaboradores e prestar-lhes formação sobre a COVID-19. Todos os trabalhadores devem saber reconhecer os sintomas da doença e como agir perante um caso suspeito. Uma noção clara dos procedimentos corretos leva à minimização do risco de contaminação de espaços e equipamentos e, mais crucialmente, salvaguarda a saúde de todos na empresa e do público em geral.

Com os colaboradores já informados, é importante promover e garantir os meios para uma adequada higiene e limpeza do ambiente de trabalho. A utilização de equipamentos de proteção individual, da mais diversa ordem, pode ser necessária para garantir a segurança tanto do trabalhador como do cliente.  Para além disso, a reconfiguração do posto de trabalho, diminuindo a exposição, o nível e a frequência de contato interpessoal é uma solução a considerar. 

Estas medidas relativas à gestão e ocupação dos espaços devem ser acompanhadas por uma revisão e atualização do planeamento dos horários e tarefas a executar, considerando a sua pertinência e indispensabilidade. A política de viagens e os hábitos de deslocação a clientes e fornecedores terão que ser alvo de uma reflexão, estando sujeitos a uma quase inevitável adaptação.

Finalmente, numa situação de crise, é importante não descurar o suporte ao colaborador. A saúde mental, em tempos de isolamento e incerteza deve merecer uma uma intervenção dirigida e reforçada. É crítico que as equipas em regime de trabalho à distância sejam acompanhadas pelas organizações, garantindo o seu bem-estar, comprometimento e motivação.

O objetivo comum deve ser proporcionar um ambiente de trabalho saudável e seguro para que as empresas voltem a operar normalmente, o mais rápido possível. Apenas garantindo uma atuação concertada e que abranja uma multiplicidade de vertentes, se poderá assegurar uma prevenção e combate efetivo à COVID-19. Uma resposta atempada é a única maneira de mitigar os efeitos desta crise e assegurar a saúde dos seus colaboradores e do negócio da sua empresa.

Teresa Pinto | Médico do Trabalho | Honnus

 

Participe Agora no Inquérito Sobre Contingência de Risco Médico-laboral Covid-19

Quero Participar